domingo, 3 de março de 2013

Os nossos textos III


Vida de cão

Yola é uma cadela branca e preta, mimada pelos seus donos. Mas todos os dias fica sozinha, pois os seus donos ou vão trabalhar, ou vão para a escola.
Quando o tempo está bonito, ela prefere, estender-se ao sol, junto da sua casota. Mas, hoje de manhã a chuva resolveu pregar uma partida e apareceu. O pior é que os donos saíram, como nos outros dias.
Se Yola tivesse adivinhado a chegada da chuva teria pedido para ficar no quentinho da casa!
Assim sendo, geme na sua casota, pouco confortável.
– Quando será que eles regressam??!!! pensa ela dentro da sua casota…


Margarida Galinha
25-11-2012


Eu e tu

Era uma tarde de primavera calmante, a Liliana estava em casa, sentada na cama a olhar para os meninos que brincavam no jardim da rua deles.
Liliana foi perguntar à sua mãe se podia ir brincar com os meninos.
A mãe lá viu que a podia deixar ir brincar um bocadinho. – Vai lá! Disse a mãe – mas não te esqueças que às sete horas da noite te quero em casa.
Liliana toda contente correu lá para fora e perguntou aos meninos se podia brincar. Responderam que podia.
Jogaram à apanhada, às escondidas, à cabra cega, à mímica e por acaso também pintaram um quadro com três metros de altura e de largura.
Liliana olhou para um rapaz que estava sentado num muro branco que tapava a frente de sua casa.
- Olá! Disse ela, sentando-se no muro ao lado do rapaz.
- Eu chamo-me Liliana, e tu? – disse novamente.
- Chamo-me Duarte e costumo vir passar todas as tardes de primavera florida. – disse ele.
Os rapazes que estavam a brincar com ela, perceberam que algo se estava a passar. Então aí descobriram que o amor estava a chegar ao Duarte e à Liliana. Afinal, parecia que estavam apaixonados, percebem?
No dia seguinte Liliana voltou para o jardim, para poder ir brincar com os seus amigos: Jorge, Fernando, Cláudio e Joaquim mas o principal deles todos tinha que ser o Duarte.
Liliana estranhou que o Duarte ainda não estivesse no muro.
Passado algum tempo Duarte finalmente chegou.
- Porque demoras te??? – perguntou lhe Liliana.
- Fui à minha roseira que estava plantada no meu quintal, tirar uma bonita e cheirosa rosa – disse ele.
A rosa era para a Lilianae quando lha estava a entregar disse-lhe com delicadeza e amor: - Gosto de ti!!!
Desde esse dia, começou o início de uma relação entre amigos especiais ;)

Ana Filipa
27 de Novembro de 2012

Sem comentários:

Publicar um comentário